Os filhos da MPB

Olá. Tudo bem? Em primeiro lugar gostaria de agradecer a todos que prestigiam o blog e me acompanham nas redes sociais. Sem a motivação de vocês nada seria possível!!!

Este ano pretendo dar um tom mais intimista ao blog, escrevendo sobre minhas memórias, experiências de vida e coisas em que acredito para tentar mudar realidades e termos um mundo com mais amor.

Que tal começarmos falando de uma arte que para mim é a mais transformadora de todas? A música. Qual é a trilha sonora que resume a sua vida?  Talvez você  não tenha uma, mas várias. Se eu tivesse que escolher apenas uma composição seria “Casa no Campo”, de Zé Rodrix, mas afirmo para vocês que não foi uma tarefa fácil, pois sou apaixonada pela Música Popular Brasileira. Acho que escolhi esta composição justamente porque acredito que a beleza reside nas coisas mais simples. E se você tem mais de 40 anos sabe muito bem do que estou falando.  Ainda não tenho casa no campo, mas minha imaginação me transportou muitas vezes para ela, a ponto de me ver dentro da própria construção. Porque assim como  os livros, boas músicas são capazes de nos fazer viajar , experimentar sensações, sentir saudades, recordar histórias, sejam boas ou ruins.

A MPB esteve presente em minha vida desde criança, mas foi a partir dos 20 e poucos anos, mais precisamente, após a faculdade de Jornalismo, que passei a prestar mais atenção no que representava. Mesma época em que as responsabilidades também aumentavam. Quando comecei a trabalhar sempre guardava um dinheirinho para a compra dos cds ( cerca de 100) que ainda tenho guardados por ordem alfabética e não os vendo por dinheiro algum.

 

20180205_163013
Minha coleção de CDs

Vocês acreditam que  num dia  desses de nostalgia, encontrei uma relíquia que nem me lembrava que tinha ? Um CD autografado pelo mestre Belchior. E posso dizer a vocês que transbordei de felicidade. Com o mesmo carinho sempre irei guardar as assinaturas de Chico César e Claúdio Zoli nos encartes dos meus discos. Embora muitos desses músicos das antigas estejam hoje um tanto esquecidos pela mídia, como eu gostaria que soubessem a importância que tiveram em muitos momentos de minha vida. Confesso para vocês que há um tempo atrás achei que não veríamos mais no Brasil, Tons, Vinicius, Toquinhos, Djavans, Miltons, etc, porque a minha lista de músicos inspiradores e com trabalhos excelentes é bem extensa. Minha visão é de uma humilde ouvinte,  mas que  bom que estava enganada. Da nova safra admiro bastante Tiago Iorc, AnaVitoria, Ana Vilela, Tiê, entre outros. E o mais bacana é que são artistas que estão abertos para o novo. Vira e mexe a gente vê um deles gravando composições de músicos experientes e fazendo apresentações com aqueles que trazem consigo a experiência e sabedoria. Isso só comprova que estar aberto para  o novo, independente  da idade, enriquece qualquer ser humano.

20180205_162524
CDs autografados pelos meus ídolos

Assim como muitos de vocês, sou fã do The Voice Kids. E sempre sou felizmente surpreendida com os depoimentos das crianças,  afirmando que foram estimulados a cantar MPB pelos pais ou avós, que são fãs do estilo. Ouçam em casa,  no carro e frequentem shows com seus filhos. Ela tem o poder de estreitar os laços familiares, reafirmar valores, aflorar as emoções, estimular o uso da Língua Portuguesa e também cura as feridas da alma.  Apesar de tantas boas recordações sobre a época dos bolachões (discos de vinil), fitas cassetes e cds, a tecnologia hoje permite que o consumo de música de qualidade seja acessível a todos, o que no passado era possível somente a uma pequena parcela da população. Portanto, viva o Spotify, mas também a herança que estamos deixando para as futuras gerações!

Anúncios

Gratidão também se aprende

Olá, pessoal

tumblr_o5lomuyDut1t2yuzqo1_1280

Tudo bem com vocês?

Estou numa fase meio introspectiva da minha vida. Quem me acompanha nas redes sociais provavelmente já percebeu que ando um pouco sumida do Stories do Instagram. É que certas dores precisam ser vividas, e durante esta  fase de reclusão, sigo refletindo e  somando forças para recomeçar.  Hoje o post é um pouco diferente dos que costumo publicar aqui porque senti a necessidade de compartilhar algo diretamente ligado aos sentimentos.  Como uma benção, ( porque nada é por acaso), caiu em minhas mãos, ou melhor, na minha caixa de e-mails esta semana, um artigo sobre Gratidão da psicóloga  Marcia Luz  que foi um tapa na cara. Sabem aqueles textos que parecem que foram escritos para a gente? E se foi útil para mim, pode ser que seja de alguma valia para vocês também.  Quando tudo está desmoronando a gente pouco pensa em gratidão. Choramos, lamentamos, ficamos tristes, não nos conformamos com tais situações, porque isso é natural do ser humano. Mas quando a nuvem preta se desfez, de repente me dei conta que sou privilegiada e devo agradecer a Deus por ter uma família que me acolhe diante das dificuldades, o amor incondicional de um marido que abraça meus sonhos, o apoio de amigos e tantas outras manifestações de carinho e afeto de quem nem esperava receber.  Mas não pense que ser grato às pessoas ou coisas que acontecem conosco é uma tarefa fácil. É um exercício diário que precisa ser trabalhado pela nossa mente, portanto, merece dedicação. Mas, hoje posso confessar a vocês que depois que li e reli este artigo me senti mais leve. Seria este o primeiro passo que vai me conduzir a gratidão? Porque sou ainda uma aprendiz, mas estou disposta a me aperfeiçoar dia após dia.

A gratidão fortalece os relacionamentos

 

Márcia Luz_alta_op1.jpg*Marcia Luz

 Você já se perguntou por que os relacionamentos fracassam? Em partes, podemos dizer que pelo mesmo motivo que empresas vão à falência: falta de foco e de dedicação.

E, quando falo em relacionamentos fracassados, não me refiro apenas a casamentos, mas também à relação entre pais e filhos, irmãos, amigos, vizinhos ou colegas de trabalho. Alguns dos motivos que levam os relacionamentos ao fracasso são: não acreditar na própria relação; não fazer do relacionamento algo indispensável; deixar de cumprir o que é prometido; não assumir responsabilidade; e, por vezes, desistir diante de desafios que parecem insuperáveis, mas que, no fim, são os que põem à prova a solidez de um relacionamento.

 Todos os dias, ouço histórias de pessoas que sofrem por situações mal resolvidas com alguém significativo em suas vidas. Por exemplo, um executivo, com quem mantive contato recentemente, que não se perdoava por ter recusado dar um abraço em sua mãe pouco antes dela falecer. Mas não devemos julgá-lo, pois todos cometemos erros ao deixar problemas que começam insignificantes atingirem proporções com as quais não estamos prontos para lidar.

 Em vez de permitir que essas situações aconteçam, devemos exercitar diariamente a gratidão – essa simples atitude pode se tornar fundamental para que as relações floresçam e sejam duradouras. Mas o que, exatamente, isso significa? Isso nada mais é que aquela parte do dia em que você toma plena consciência das pessoas que estão à sua volta, aquelas que não poderia perder de maneira alguma. Esse período de reflexão interna nos faz, consciente ou inconscientemente, valorizar as pessoas, pois sabemos que, sem elas, nossas vidas seriam um pouco mais duras.

 Pouco importa a que ou a quem é direcionada essa gratidão. Pode ser um agradecimento a Deus, ao cosmos, ao universo, a uma força mística maior que todos nós. O que é realmente importante é a gratidão pelo que nos é dado, exprimir os motivos pelos quais somos gratos por ter a presença daquelas pessoas em nossas vidas. Quando agradecemos, é como se a vida entendesse o recado, visse que gostamos daquilo que ela nos proporcionou e mandasse mais coisas boas.

 Proponho que você comece hoje mesmo. Olhe ao seu redor, aos seus familiares e amigos, e pense no quanto a presença deles em sua vida lhe faz bem. Além de agradecer por tê-los por perto, sugiro também alguns exercícios no relacionamento:

 – Perdão: experimente perdoar. Você dificilmente será um ser humano totalmente completo enquanto não perdoar mágoas mal resolvidas;

Elogie: teça elogios à pessoa. Esses pequenos gestos fazem a diferença no dia a dia do relacionamento;

Valorize o positivo: às vezes, mesmo que sem perceber, destacamos apenas o que é negativo. Procure focar no que a pessoa tem de positivo;

Expresse seu amor: seja por meio de um abraço ou dizendo “te amo”. Expressar sentimentos positivos é sempre revigorante para a relação.

 *Marcia Luz é psicóloga, professora, coach, autora do livro “A gratidão transforma” e realizadora do 1º Congresso Mundial da Gratidão (Comgratidão), que reuniu 40 mil participantes em 2016. No Youtube conta com 137 mil inscritos.  Siga o canal: