Quando a empolgação faz o ladrão

Olá, pessoal

Relutei até o último momento para escrever este post porque tinha esperanças que a empresa esclarecesse o que tinha ocorrido. Mas, como isso não aconteceu, resolvi tornar público o caso.

Em novembro do ano passado quis aproveitar uma promoção de black friday para comprar uma bolsinha de cupcake que tanto desejava. A oferta tentadora de preço amigo e frete grátis estava no perfil da empresa no Instagram ( @box.cases). Por direct acertei a compra, meu marido pagou antecipado à data de vencimento  o boleto, já que era um presente dele para mim e depois era só esperar a chegada da tão sonhada mercadoria. Tudo foi feito por meio da minha conta do Pag Seguro Uol. Só que no meio do caminho a empresa alegou que teve um problema no faturamento e me sugeriu que eu fizesse nova transação pelo Mercado Pago. É claro que não aceitei, mas também não queria ficar no prejuízo. Porém uma contradição nos nossos diálogos  me alertou que havia algo errado e me deixou bastante intrigada:  Como que a Box.Cases me ressarciria por meio da mesma empresa que estava lhe dando problemas? Eu a questionei sobre isso durante as nossas conversas e depois de vários pedidos de desculpas a empresa me garantiu que o o reembolso seria feito por meio da minha conta  do Pag Seguro. Tirei vários extratos e mandava sempre para comprovar  que a conta estava zerada. No final das contas a empresa prometeu que me enviaria a bolsa, o que não aconteceu. E o pior: esse perfil  agora é inexistente no Instagram.

img_1950
Foto extraída do perfil da @box.cases no Instagram

 

O valor da compra não foi alto. Desembolsamos R$ 26,90. Mas o que me chateou foi a falta de honestidade e respeito mesmo. Acredito que outras pessoas também foram lesadas. Como vocês sabem sou colecionadora de objetos com tema de cupcake, e a bolsinha tinha um valor sentimental para mim.

Antes que vocês me perguntem, não fui ao Procon porque não tenho nem o cnpj da empresa. Por outro lado também reconheço meu erro como consumidora, porque não deveria ter comprado de uma firma sem buscar referências anteriores. Esta foi a primeira vez que tive problemas com uma compra online. Mas o noticiário está aí para provar que isto acontece com certa frequência no Brasil. Eu prefiro sempre confiar nas pessoas, até que elas me traiam uma vez. Porque quando perco a  confiança, não consigo manter nenhum tipo de relação. Seja no campo pessoal ou profissional.  Neste caso minha empolgação fez o ladrão. Desse episódio restou uma lição que eu jamais pretendo esquecer. E vocês, já tiveram algum problema com compras feitas pela internet? Me contem para trocarmos experiências.

Beijos e até o próximo post.

Anúncios

Amostras grátis que realmente chegam

imageOlá meninas. Tudo bem?

Como seria bom se o consumidor pudesse testar  todos os produtos antes de comprá-los, né?  No caso das blogueiras menores, como eu, na maioria das vezes, adquirimos os produtos com o dinheirinho suado do nosso trabalho para elaborar as resenhas.  Já as pessoas comuns, podem contar sim com um aliado. Recentemente fui atrás de sites que faziam propaganda a respeito do fornecimento de amostras grátis sobre os mais diversos produtos. Você se cadastra online com promessa de recebê-los em casa, porém, esses serviços deixam claro que a responsabilidade da entrega do produto é da própria marca. Me cadastrei em 3 deles, mas cheguei à conclusão de que somente um é confiável e por isso estou compartilhando essa experiência com vocês. Até agora recebi tudo o que solicitei por meio do site amostrasgratis.org. Eu optei por produtos relacionados à beleza e que me agregassem valores. Mas tem de tudo lá. De chocolate, passando por ração de gato, até utensílios domésticos. Vale a pena também se cadastrar no Facebook para receber as notificações sobre os novos produtos disponíveis. O tempo de entrega varia de 15 dias a um mês e meio.  Enfim, essa é uma estratégia de Marketing muito bacana, porque a empresa acaba conhecendo um pouco mais do consumidor também quando ele preenche o formulário, que depois tem a oportunidade de testar o produto, e se gostar vai consumir futuramente. No caso dos livros, que fazem parte de um projeto de responsabilidade social, o cidadão será um multiplicador de conhecimentos, e isso é muito bacana.  Enfim, é uma relação de troca em que há ganhos para ambas as partes.

A foto acima  mostra tudo que recebi até agora: Dois livros da Fundação Itaú Social  do projeto Leia para uma Criança #issomudaomundo e amostras de protetor solar da La Roche Posay, perfume Elysee, da O Boticário e Blur Mágico da L´Oreal Paris.

Bom, espero que tenham gostado da dica e até o próximo post!