Eco Bijous made in São José dos Campos

Olá, encantadas (os)!

Me desculpem o sumiço, mas estava em tratamento médico e tive que dar uma parada com o blog. Agora estou voltando com força total e trarei muitas novidades.

Hoje quero mostrar para vocês acessórios mega originais feitos artesanalmente  por uma marca de São José dos Campos (SP) que simplesmente  fiquei apaixonada. Estou falando da Picotes Eco Bijoux, da designer  Johanna Bakhuizen, criada em 2012 com o objetivo de reaproveitar e transformar materiais que geralmente são jogados fora em bijouterias modernas e sustentáveis.

Antes de ler este post  aposto que muita gente não imaginaria que aquela variedade de cores encontradas nas cápsulas de Nespresso poderiam dar origem a lindos colares e pulseiras.

O processo de produção das peças é minucioso, por isso devemos valorizar cada etapa.

17360698_1365925256783835_1390640982_n
Fotos: Divulgação Picotes Eco Bijoux/ 

 

1) Primeiro a designer deixa as cápsulas secarem ao  sol para que saia toda a umidade da borra, o que ajuda a desgrudar o café da cápsula;
2) Depois corta com um estilete a base prateada e a parte onde fica o filtro da cápsula, tira a borra de café e deixar a cápsula em formato de um cone oco;
3) Na sequência deixa de molho na água por um tempo e se tiverem muito sujas as coloca na água quente. Lava uma a uma com uma escova de dentes para tirar todo o resíduo;
4) Deixa secá-las no sol novamente.
5) Dobra a borda cortante com a ponta dos dedos para dentro para que nenhuma rebarba fique exposta;
6) Com um alicate de ponta longa e chata sem dentes amassa as peças com cuidado para que fiquem bem planas e dobra qualquer rebarba que fique exposta para dentro;
7) Separa por cores, juntas duas a duas com argolinhas para montar colares, dobra bordas e fura os cantos com agulha grossa para montar os braceletes.
received_1365925910117103.jpeg

 

received_1365925953450432.jpeg
Eu adorei esta combinação de cores para usar neste outono-inverno

 

O mais bacana é que as peças são vendidas a preços justos e nós ainda podemos colaborar com a natureza e o trabalho da Johanna, doando as cápsulas usadas aos domingos entre 9h e 13h30 em sua banca na feira de artesanato  do Parque Vicentina Aranha. Lembrando que  não precisa tirar as borras ou lavá-las.

received_1365925926783768.jpeg

Estou deixando os contatos da Johanna, caso queiram conhecer ou adquirir os produtos.
Facebook – www.facebook.com/picotesecobijoux
Instagram- @picotesbyjohanna
E-mail: johannna@picotes.com.br
Telefone: (12) 997589970

 

Anúncios

Em Ubatuba não existe rotina

Olá, pessoal.

Estão aproveitando o verão?  Quando é possível desço para Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. Acho que este é o terceiro post que faço dessa cidade encantadora que frequento desde criança.

Em Ubatuba não existe rotina. Sempre volto de lá com novidades para contar. Além das mais de 100 praias existentes ( acho que não conheço 20 ainda), o município tem uma rica gastronomia, artesanato, fabricação de moda praia, comércio bacana e ainda feira hippie.

Tudo isso é um prato cheio para o consumismo, mas bom mesmo é contemplar a incomparável beleza da Serra do Mar,  com suas praias de águas cristalinas, cachoeiras e muita mata nativa.

Hoje trago para vocês dicas de lugares e passeios bastante atrativos. Vou começar com a gastronomia. Como sou a louca do camarão é o primeiro prato que procuro em um cardápio de restaurante quando estou em Ubatuba. A barraca do Cajú,na praia da Almada,serve este magnífico prato composto de camarões com crosta de gergelim, arroz com brócolis e batata souté. É dos deuses, minha gente!

Outro lugar bem  bacana que conhecemos no último final de semana que estivemos lá foi o Mango Creperia , na Avenida Guarani, no bairro do Itaguá, localizado no centro de compras mais charmoso de Ubatuba. O restaurante tem um cardápio bastante diversificado, com pratos, porções e lanches, porém a especialidade é o crepe. Nem preciso dizer que pedi o de camarão, mas existe uma infinidade de sabores para vocês escolherem. Tudo isso regado  a uma MPB ao vivo da melhor qualidade.

Agora, que tal adoçar a vida, com este delicioso sorvete ao forno do Tachão? O estabelecimento é especializado em bananas, mas essa guloseima é a melhor que já comi lá. Trata-se de uma  fatia de bolo pão de ló, com salada de frutas, sorvete a escolher e cobertura de merengue gratinado. Só digo que vocês precisam experimentar.

Agora, quando o assunto é praia sou suspeita para falar, porque a da Almada conquistou meu coração e toda vez que vou a Ubatuba preciso dar uma passadinha lá. Como não sei nadar procuro sempre praias que não têm ondas, e ela tem esse perfil. Sem contar que existe uma infraestrutura muito boa nas barracas, com sanitários e duchas. Porque mulher prioriza tudo isso, né?

Recentemente conhecemos a Praia do Lázaro, também de águas calmas, tipo piscina. Também têm barracas, mas faltam sanitários e duchas. Pelo que ouvi de um comerciante, a ideia é melhorar o atendimento a turistas, mas parece que está rolando um perrengue com o poder público.  Um fato que observei é que os valores cobrados nas porções são mais baixos que na Praia da Almada. Em algumas a diferença chega a R$ 15,00. Outra vantagem é que  o estacionamento não é pago. Você só precisa dar uma gorjeta para os guardadores de carros na saída. De qualquer forma, ambas  são frequentadas por famílias e são bem sossegadas. Se você procura agito, definitivamente, essas não são suas praias.

Acompanhem no meu  Instagram e Facebook  mais fotos de Ubatuba e das comprinhas que fiz na minha última viagem.

E vocês, o que mais gostam em Ubatuba? Quem tem curiosidade em conhecer esta linda cidade?

Beijos e até o próximo post.

 

 

 

 

Ensaio em Paraty

 

Quem visita Paraty, no estado do Rio de Janeiro, é remetido ao passado brasileiro. Uma história que começou no século XVI e nos deixou uma magnífica herança.

Andar por suas ruas significa ser personagem principal de uma história que ficou imortalizada.

Como num filme, através das lentes e do olhar poético do meu marido, Marcos Lima, por um dia fui protagonista do período colonial, por meio de seu cais, ruas, igrejas, casarões preservados e sua riquíssima cultura.

Paraty é patrimônio imaterial, cidade intocada, que para todo o  sempre será  lembrada por  importantes acontecimentos ao longo dos séculos, como a participação nos ciclos da cana, do ouro e do café.

A imponente cidade não poderia ter um nome mais sugestivo. É um presente que nos foi dado para ser apenas contemplado!

Um caminho diferente te leva a Campos do Jordão

Olá, pessoal

O frio que anda fazendo esta semana me lembrou que eu estava devendo um post que deveria ser escrito até o fim do inverno.

Se você estiver em São José dos Campos e deseja ir para Campos do Jordão existe uma estrada muito agradável que te leva a este destino, com direito a belas paisagens e ainda a oportunidade de conhecer a simpática Monteiro Lobato, cidade onde o escritor passou uma parte de sua vida. Estou falando da SP 50. Repare na beleza deste túnel de árvores. Dá uma sensação de calmaria!

 

FullSizeRender (3)

 

Talvez para muita gente que mora no Vale do Paraíba não exista novidade no que estou contando, mas como tenho leitoras (es) de outros estados que adoram conhecer lugares diferentes, acho que a dica é válida.

Do centro de  São José dos Campos até  Monteiro Lobato são cerca de 40 a 50 minutos. A pequena cidade é muito graciosa e tem várias lojinhas  de artesanato. A   maioria vende bonecos de pano fofos que retratam os personagens do Monteiro Lobato. Estes encontramos na  Casa Encantada. Os amantes da literatura e as crianças piram!

 

IMG_4415IMG_4414

Seguindo nossa viagem, mais uma hora de estrada e chegamos a linda Campos do Jordão, que dispensa apresentações. Como foi um passeio em família de um dia, nos programamos  para conhecer o tão esperado Parque Amantikir, que reproduz jardins de várias partes do mundo. Pagamos R$ 30, 00 pelo ingresso, mas valeu muito a pena. O lugar rende clicks maravilhosos. Olha a vista que se tem da Serra da Mantiqueira!

IMG_2200

img_1785

img_1786
Depois de uma pausa para o almoço na charmosa Capivari, enquanto meu marido e minha enteada se aventuravam em um passeio de teleférico, fui visitar as malharias e comprar umas roupas.  No final do dia paramos para comer o tradicional “Pastelão do Maluf”. O nome do estabelecimento não me agrada, mas, fazer o que né?  Ele é tão grande que não consegui comer inteiro.

img_1787

Bom, espero que tenha gostado do meu roteiro turístico e continue passando por caminhos diferentes, mesmo que eles te levem  a lugares que você já conhece.

Beijos encantados e um ótimo final de semana!

O valor que tem uma feira de artesanato

Eu adoro frequentar mercados municipais, feiras de alimentação e artesanato. Em primeiro lugar porque são espaços que têm os vendedores mais simpáticos do comércio, segundo porque dão descontos e em terceiro adoram uma boa prosa, assim como eu. Domingo passado estive em uma feira de artesanato do meu bairro, o Jardim Aquarius,  em São José dos Campos, para ficar antenada às novidades, encontrar umas coisinhas bacanas para mostrar a vocês e também comprar um bocadinho, pouco mesmo, porque em época de crise tive que me virar com 40 reais, e saí de casa com a grana contada para não cair em tentação. Conversando com uma artesã que faz lindas bijous de capim dourado pude perceber que é uma classe super organizada. Muitos integram  associações ou cooperativas que orientam e os ajudam a encontrar caminhos para valorizarem ainda mais os produtos que comercializam. O trabalho manual me encanta, porque você sabe que aquilo está sendo feito com amor. Além de tudo os artesãos pesquisam tendências, garimpam materiais em vários fornecedores para chegar a um custo acessível ao consumidor , abusam da criatividade e são bastante detalhistas e caprichosos. Não é à toa que vários desses trabalhos vão parar no exterior e também são associados a grifes famosas. E são por esses e outros motivos que eu valorizo muito o artesanato  regional. E bendita é a tal economia criativa, que vem proporcionando linhas de crédito para os pequenos investirem e abrindo cada vez mais o mercado para pessoas talentosas exporem seus trabalhos, seja em feiras, eventos e na internet, que vem se mostrando um canal muito eficaz para os artesãos. De   norte a sul do país temos riquezas, muitas vezes escondidas nas mãos mágicas de pessoas  que fazem a felicidade de muita gente, assim como eu, assim como talvez você.  Abaixo os meus achados . Espero que gostem!!!                                                                                                                Sksomania: Bijous em capim dourado: 12 3028- 5842/ 12 99101-7743                         Dom da Cor: Artesanato em Mdf : 12 99190-2441/ 3302-6648                            Biscuit: Marli Gulin:  12 3206-1057/ 99763-9363                                                             Arte nas Mãos- Decoupage- Benilda e Elfe: 12 3952-1023/ 981349186            imageimageimageimageimage

Minhas comprinhas. Da esquerda para a direita:, brinco de capim dourado, enfeite lápis cupcake, prendedores de biscoito sorvetes e bloquinho de anotações cupcake.
Minhas comprinhas. Da esquerda para a direita: brinco de capim dourado, enfeite lápis cupcake, prendedores de biscuit sorvetes e bloquinho de anotações cupcake.