Comunicando de forma inteligente os dilemas da Pós Modernidade

Olá , pessoal

Por indicação de uma pesquisadora, em 2007 conheci 5 obras do sociólogo  polonês Zygmunt Bauman que foram divisores de águas em minha vida. Na época eles prenderam minha atenção do começo ao fim e creio que está na hora de adquirir o restante do acervo dele.

20180911_150252 (1).jpg

 

O intelectual teve 40 livros publicados no Brasil que apresentam reflexões relevantes no que se refere à sociedade pós-moderna: globalização, tecnologia, consumo, instabilidade do amor e individualismo. O tempo passou e creio que os dilemas apresentados nas obras só pioraram. E aí podemos destacar a dependência às redes sociais, a vaidade exacerbada, ambições, pessoas que não medem consequências para serem aceitas na sociedade e por aí vai.  Talvez eu tenha herdado a visão pessimista de mundo que muitos dizem que ele tinha, mas por outro lado espero que uma parcela se sensibilize e tente mudar a realidade de formas mais humanas e positivas. Nesse contexto creio que a Comunicação tenha um papel decisivo na formação de uma sociedade mais democrática, justa e pensante. Tempos atrás assisti  a uma entrevista em que um psicólogo dizia que as pessoas que passam muito tempo nas redes sociais e não vivenciam outros momentos de socialização ficam deprimidas.

Atualmente devido a falta de opções de programas inteligentes na tv aberta, o “Terra Dois” da TV Cultura, exibido toda quarta-feira às 22h30, tem me surpreendido pela narrativa e conteúdo. Unindo dramaturgia e reflexão, a atriz Bete Coelho e o psicanalista Jorge Forbes discutem temas e inquietações do mundo pós-moderno, como as novas relações de afeto, das profissões e do mundo digital.

Também gosto bastante do programa “Café Filosófico”, produzido pelo Instituto CPFL, que explora bastante temáticas relacionadas ao século 21.

Não quero me estender muito e recomendo que vocês conheçam um pouco das reflexões de Zygmunt Bauman, apresentadas por Leandro Karnal neste vídeo:

Obra de Bauman

Também fiquei bastante impactada com o último programa que assisti do Terra Dois, intitulado “Até onde a pele estica”. Creio que irão gostar também.

Até onde a pele estica

E vocês, também se preocupam com o atual momento em que vivemos? Me contem.

Abraços e até o próximo post.

 

 

 

 

 

 

 

Até Onde a Pele Estica

Anúncios

Final de semana em São Bento do Sapucaí

Olá, pessoal.

Os posts de Turismo são os mais acessados do blog, por isso adoro dividir nossas experiências com vocês. Eu e meu marido estamos sempre dispostos a desbravar a região em que vivemos ( Vale do Paraíba) porque é linda e a valorizamos. A última viagem foi para São Bento do Sapucaí, que fica bem perto de Campos do Jordão. A cidade é bem pacata, mas tem seu charme. Diferentemente do meu marido, não sou fã de esportes radicais. Então, antes que alguém pergunte, não escalamos a Pedra do Baú rs. Porém, conhecemos uma unidade de conservação onde é possível fazer uma trilha curtinha a pé e ter uma vista maravilhosa das pedras do Baú e Bauzinho. No caminho, uma parada para vislumbrar a Cachoeira do Toldi. O roteiro foi pensado com o objetivo de descansar, respirar ar puro e curtir o clima e a natureza exuberante da Serra da Mantiqueira. Escolhemos como refúgio um dos chalés Pedra do Baú. O Sr Antônio foi muito gentil comigo desde o primeiro atendimento e sua esposa tem mãos de fada e muita disposição para preparar um café reforçado e diferenciado, valorizando a culinária regional. O valor do pacote de sexta-feira a domingo é convidativo. Super recomendo para famílias com filhos, pois os chalés têm camas adicionais, lareiras e cozinhas equipadas com frigobar, fogões e microondas. Outra atração super bacana é o restaurante Pedra do Baú, que oferece um cardápio de qualidade no esquema de valor único e comida à vontade. Bom, vou deixar vocês com este gostinho de São Bento do Sapucaí. É um passeio muito gostoso para se fazer no inverno, mas preparem-se para passar muito frio nesta época do ano. Gostamos tanto que já queremos voltar. Até o próximo post.

A adaptação de uma canhota a um mundo feito para destros

canhotos-logo-1200x800px-fundo-branco

Faço parte de uma família onde a maioria dos seus integrantes são canhotos.  Em contrapartida, estima-se que a população mundial de canhotos chegue a 10% no máximo. E pesquisas e teorias não faltam para explicar uma predisposição genética que leva pessoas como eu ou alguns de vocês a fazer tudo com a mão esquerda. Existem até sites e blogs especializados no assunto. Creio que existam muitas inverdades também, mas não estou disposta a divagar sobre isso. Quero falar um pouquinho sobre a realidade  que vivo em um mundo feito para destros. Desde que me conheço por gente a pergunta que mais ouvi foi: Você é canhota?

Ainda bem que hoje em dia não tentam mudar as habilidades naturais das crianças, mesmo porque não conseguiriam.  As pessoas nascem canhotas e vão morrer canhotas. Tudo bem que minha letra é feia, assim como de muitos destros, mas isso é uma questão de caligrafia rs.  Que diferença faz na vida de alguém o fato de que entorto o punho para escrever ? Desconfortável mesmo é não achar carteiras adaptadas para nós nas escolas, faculdades ou em ambientes onde são realizados concursos públicos. E até hoje isso acontece, viu ? A gente descasca os alimentos de forma diferente, mas nem por isso estamos fazendo errado. Eu posso dizer que sou um pouco desajeitada, mas não menos esforçada que ninguém. Ah, e tem mais uma coisa: detestamos quando as pessoas ficam reparando em nossas mãos enquanto desenvolvemos atividades manuais. Não deixa de ser uma forma de preconceito, mesmo que seja velado. Só não consegui aprender mesmo é abrir latas. Mas confesso que tentei várias vezes. Meu marido é destro, então me sento à esquerda dele na mesa de jantar para evitar o empurra- empurra das mãos. No caso de um almoço coletivo, em que não conheço as pessoas, explico a situação e delicadamente peço para mudar de lugar. Ainda bem que nunca  tive problemas com relação a isso.

Agora uma coisa boa, que me surpreendeu mesmo, foi descobrir durante uma das pesquisas que fazia na internet que existe uma loja online especializada em produtos para canhotos. E ela tem de tudo: de artigos de papelaria até utensílios para  cozinha. A ideia foi de um empreendedor que viu uma oportunidade de negócio nas dificuldades apresentadas pela namorada ( hoje sua ex) nas atividades do dia a dia. Quer prova maior de amor que essa? Estou deixando o link aqui para vocês, caso desejem explorar esse universo tão raro e particular.No Destro

Hoje posso dizer a vocês que com minha “canhotice” aprendi a respeitar muito mais as minorias e diferenças. E isso me fez crescer demais como pessoa. E vocês, também têm canhotos em suas famílias ou grandes amigos que fazem parte desse grupo bacana?

Espero que tenham gostado e até o próximo post!

Panelas velhas podem trazer sérios danos à saúde

Olá, mulheres encantadoras

Imagem blog casa di cor
Imagem ilustrativa:  blog casadicor

 

Embora muitos desconheçam, as  panelas velhas podem comprometer a saúde de nossas famílias. Manchas, crostas e arranhões exigem atenção, pois são fortes indicativos de que é hora de aposentar os utensílios de cozinha que apresentam esses sinais.

Quando fritamos um bife, várias substâncias nocivas podem ser liberadas se a frigideira estiver malconservada. Essas toxinas pioram com o tempo e muitas vezes não alteram o sabor da comida, o que torna mais difícil perceber a gravidade do problema.
É bem verdade que há uma extensa lista de panelas disponíveis no mercado, cada uma com seus pontos fracos e fortes. Entre as mais populares, as panelas de alumínio costumam ter o preço mais acessível.

Segundo pesquisa da Universidade de São Paulo, ( Leia mais) a relação  custo-benefício nas panelas de alumínio é duvidosa, já que a migração de substâncias tóxicas é mais rápida nesse material e pode ocorrer já no primeiro uso. A limpeza inadequada, usando palha de aço, agrava ainda mais a liberação do metal nos alimentos. A limpeza correta deve sempre ser feita com uma esponja macia e úmida.

As panelas de cerâmica e as panelas esmaltadas conquistaram o mercado, aliando beleza e estilo, mas também é preciso cuidado em sua conservação. Se lavadas incorretamente, com palha de aço ou materiais abrasivos ou pontiagudos, a pintura interna pode liberar metais pesados prejudiciais à saúde.

Já no caso das panelas de ferro a preocupação é com a liberação do mineral ferro nos alimentos conforme o seu uso. Embora ele seja importante em nossa dieta, nutricionistas alertam que todo exagero faz mal e o ferro em excesso pode contribuir para processos inflamatórios, por ser muito oxidante. Ainda assim, as panelas de ferro continuam sendo boa opção, pois aquecem rapidamente e reduzem o tempo de preparo das receitas, o que é um ponto bastante positivo. É importante secar bem esse tipo de panela antes de guardar, para evitar formação de ferrugem.

As panelas de aço inox também precisam de atenção, pois são feitas com uma liga composta por ferro, níquel e cromo. Entre esses componentes, o níquel é o mais prejudicial à saúde. Embora a migração dessas substâncias para os alimentos seja pequena, é recomendado que pessoas sensíveis ao níquel utilizem outro tipo de panela. Também deve-se usar esponja macia para a limpeza.

As panelas de teflon são muito práticas de limpar, mas seu uso inadequado pode remover a película antiaderente e propiciar acúmulo de sujeira e migração de compostos metálicos. Antes do primeiro uso o ideal é limpar a panela de teflon com esponja macia utilizando sabão neutro, secar com papel toalha e depois untar toda a superfície com óleo. Depois é só levar ao fogão, em fogo baixo, por 1 minuto. Em seguida basta lavar e secar novamente. Mas atenção: temperaturas altas aceleram o processo de decomposição do teflon, portanto, é importante não abusar do fogo alto, para garantir sua integridade.

Por fim, as panelas de vidro são certamente as mais recomendadas para a saúde. Não liberam compostos tóxicos, tem durabilidade longa, são fáceis de lavar e atingem a temperatura com facilidade, o que também economiza gás. A desvantagem é que são mais pesadas e podem quebrar com eventuais quedas, mas é só ter bastante cuidado ao manuseá-las.

E vocês, cuidam bem de suas panelas?

Espero que este post tenha sido útil. Deixem comentários e sugestões sobre o assunto, que vou adorar.

fonte: PanelaZap ( buscador de preços de panelas)

Beijos

Paty

Prática de exercícios físicos ao ar livre requer educação e bom senso

Olá, pessoal

Diariamente tenho praticado exercícios físicos ao ar livre  na praça do bairro  onde moro, em São José dos dos Campos, e observando as atitudes das pessoas tive a ideia de escrever este post. Algumas não tem a mínima noção de que estão dividindo um espaço  coletivo e cometem muitos deslizes. Mas, com educação e bom senso tenho certeza que podemos conviver melhor nos espaços públicos.

depositphotos_115954702-stock-illustration-young-woman-running-cartoon-vector

Que tal seguir esta etiqueta do bem?

  • Se alguém te der bom dia, responda ou então tome a iniciativa de cumprimentar. Você vai se sentir muito bem sendo gentil com o próximo;
  • Além de você que é esportista,  trabalhadores, idosos, cadeirantes e mães com carrinhos de bebês também usam a calçada para outros fins. Dê passagem;
  • Se estiver correndo, peça licença para passar na frente do seu vizinho que está caminhando em um ritmo mais lento. Se esbarrar, peça desculpas;
  • Praticar exercícios na companhia de seu cão é saudável e prazeroso, mas recolha os dejetos produzido por ele e jogue na lixeira. Neste caso, sua conduta vai pesar no bolso também, porque estará sujeito a multa;
  • Muitos querem usar a academia ao ar livre. Faça uma série, reveze nos equipamentos  e dê espaço para os outros. E se você estiver esperando, não fique fazendo pressão ao lado da pessoa, porque incomoda muito;
  • Cuidado com o que fala na frente de pessoas com as quais não têm intimidade;
  • Fique atento as placas indicando que você não deve pisar na grama para conservar a vegetação e respeite.
    20180328_085733
    Praça do Jardim Aquarius, em São José dos Campos ( SP).

    E você, já vivenciou alguma situação desagradável durante a prática de exercícios ao ar livre? Que tal compartilhar com os meus leitores?

Um abraço  e até o próximo post.

Os filhos da MPB

Olá. Tudo bem? Em primeiro lugar gostaria de agradecer a todos que prestigiam o blog e me acompanham nas redes sociais. Sem a motivação de vocês nada seria possível!!!

Este ano pretendo dar um tom mais intimista ao blog, escrevendo sobre minhas memórias, experiências de vida e coisas em que acredito para tentar mudar realidades e termos um mundo com mais amor.

Que tal começarmos falando de uma arte que para mim é a mais transformadora de todas? A música. Qual é a trilha sonora que resume a sua vida?  Talvez você  não tenha uma, mas várias. Se eu tivesse que escolher apenas uma composição seria “Casa no Campo”, de Zé Rodrix, mas afirmo para vocês que não foi uma tarefa fácil, pois sou apaixonada pela Música Popular Brasileira. Acho que escolhi esta composição justamente porque acredito que a beleza reside nas coisas mais simples. E se você tem mais de 40 anos sabe muito bem do que estou falando.  Ainda não tenho casa no campo, mas minha imaginação me transportou muitas vezes para ela, a ponto de me ver dentro da própria construção. Porque assim como  os livros, boas músicas são capazes de nos fazer viajar , experimentar sensações, sentir saudades, recordar histórias, sejam boas ou ruins.

A MPB esteve presente em minha vida desde criança, mas foi a partir dos 20 e poucos anos, mais precisamente, após a faculdade de Jornalismo, que passei a prestar mais atenção no que representava. Mesma época em que as responsabilidades também aumentavam. Quando comecei a trabalhar sempre guardava um dinheirinho para a compra dos cds ( cerca de 100) que ainda tenho guardados por ordem alfabética e não os vendo por dinheiro algum.

 

20180205_163013
Minha coleção de CDs

Vocês acreditam que  num dia  desses de nostalgia, encontrei uma relíquia que nem me lembrava que tinha ? Um CD autografado pelo mestre Belchior. E posso dizer a vocês que transbordei de felicidade. Com o mesmo carinho sempre irei guardar as assinaturas de Chico César e Claúdio Zoli nos encartes dos meus discos. Embora muitos desses músicos das antigas estejam hoje um tanto esquecidos pela mídia, como eu gostaria que soubessem a importância que tiveram em muitos momentos de minha vida. Confesso para vocês que há um tempo atrás achei que não veríamos mais no Brasil, Tons, Vinicius, Toquinhos, Djavans, Miltons, etc, porque a minha lista de músicos inspiradores e com trabalhos excelentes é bem extensa. Minha visão é de uma humilde ouvinte,  mas que  bom que estava enganada. Da nova safra admiro bastante Tiago Iorc, AnaVitoria, Ana Vilela, Tiê, entre outros. E o mais bacana é que são artistas que estão abertos para o novo. Vira e mexe a gente vê um deles gravando composições de músicos experientes e fazendo apresentações com aqueles que trazem consigo a experiência e sabedoria. Isso só comprova que estar aberto para  o novo, independente  da idade, enriquece qualquer ser humano.

20180205_162524
CDs autografados pelos meus ídolos

Assim como muitos de vocês, sou fã do The Voice Kids. E sempre sou felizmente surpreendida com os depoimentos das crianças,  afirmando que foram estimulados a cantar MPB pelos pais ou avós, que são fãs do estilo. Ouçam em casa,  no carro e frequentem shows com seus filhos. Ela tem o poder de estreitar os laços familiares, reafirmar valores, aflorar as emoções, estimular o uso da Língua Portuguesa e também cura as feridas da alma.  Apesar de tantas boas recordações sobre a época dos bolachões (discos de vinil), fitas cassetes e cds, a tecnologia hoje permite que o consumo de música de qualidade seja acessível a todos, o que no passado era possível somente a uma pequena parcela da população. Portanto, viva o Spotify, mas também a herança que estamos deixando para as futuras gerações!

Ideias de como usar a saia plissada midi

Tudo bem, meninas?

A saia midi plissada é uma peça atemporal que eu desejava há tempos e acabei ganhando de presente da minha mãe. Foi comprada nas Pernambucanas por um preço acessível e tinha também na cor preta.

Usei pela primeira vez de uma forma mais formal porque a ocasião pedia, mas pretendo combinar de várias outras formas.  Como sou baixinha, apostei em uma sandália de salto  em tom nude para alongar a silhueta e deu super certo.

20171105_122143

 

Já a linda Janaína Moraes, que é uma das parceiras do Blogs do VP ( grupo do qual fazemos parte), apostou no estilo vintage com uma blusa de mangas longas e  o resultado  foi um look mais clássico. A garotinha fofa é sobrinha dela, que desde pequena já faz  sucesso nas redes sociais rs.

20171208_104158

 

Fui buscar outras referências no Pinterest e separei  para vocês alguns looks que gostei muito  e usaria:

Na foto abaixo a camisa é jeans, que também pode ser substituída por uma de tecido. Nos pés, que tal um scarpin ou sapatilha? Os dois modelos conferem delicadeza ao conjunto.

saia plissada 2

E vejam que combinação perfeita para quem pretende passar o Reveillon de forma mais confortável.  A saia também fica bacana com uma camiseta mais larguinha e um nozinho do lado. A t-shirt com estampa na frente ou frase  confere despojamento ao visual. Maxicolares também são bem vindos. Eu endoideci com esta clutch. Linda, né?

Saia plissada 1

E vocês, gostam também  das saias plisssadas? Como gostam de usar? Contem para mim.

Um beijo e até o próximo post.