Reflexões sobre o beijo

imagePor Patrícia de Siqueira Lima

Neste 13 de abril é comemorado o Dia Internacional do Beijo. Data celebrada por casais,  empresas e muita gente que nem imagina do que se trata. Alguns sites de pesquisa   mencionam a mesma versão do que seria uma lenda e compartilho aqui:

Acredita-se que a data teve origem em 1882, onde em uma vila italiana existia um homem chamado Enrique Porchelo, que beijava todas as mulheres que encontrava, não importando se eram ou não comprometidas. Até que em 13 de abril daquele ano, o padre da região resolveu oferecer um prêmio em moedas de ouro para a primeira mulher que se apresentasse e que não tivesse sido beijada pelo tal Enrique. Porém nenhuma mulher se apresentou, e acredita-se na lenda de que a pequena fortuna está escondida, em algum local da Itália até hoje. A palavra é originária do latim Basium (ação de beijar ).

Acho  que o assunto é tão interessante que merece reflexões a respeito.

O beijo é um gesto usual no nosso dia a dia, cantado em verso e prosa por músicos e poetas, retratado em inúmeras produções de cinema e televisivas e imaginado por tantos outros. Nas histórias em quadrinhos a famosa representação do “smack”já arrancou suspiros de muitas crianças. E quem nunca se viu beijando o espelho na adolescência, como um ritual de preparação para o grande dia?

Beijos apaixonados dados na boca podem ser calmos ou calorosos. Isso depende da situação, vivência e do ritmo de cada um. Hoje sou muito bem casada, mas quando era mais nova achava insuportável beijar aqueles rapazes com beijos babados. E isso  era condição para  que me afastasse deles.  Dizem que beijo na testa é sinal de respeito. E tem aquele roubado, que pode ser bom ou ruim. Tem o beijo entre pais e filhos,  que representa o amor incondicional. Aquele do papel de carta, marcado com batom, selando um amor à distância ou talvez platônico. Há também o que povoa o imaginário da moça que vive sonhando com o seu ator preferido. Ah, e o beijo do perdão, esse para mim é o mais singelo.

Até aqui falei de beijos que representam o afeto. Mas também podem existir relações de desafeto envolvendo esse gesto universal. Existe o beijo fingido, aquele que é dado visando algum favorecimento, o beijo da culpa por uma traição, o beijo que visa a discórdia, o beijo que ilude. Portanto o que tenho para dizer no dia de hoje a você é o seguinte: Beijo de mentira não existe. O beijo  é a forma mais linda de dizer a verdade a quem nutrimos sentimentos sem precisar de palavras!

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s